Visitas de profetas ao Brasil

    Saiba quando e onde profetas estiveram no país

    Desde a restauração do evangelho vários profetas modernos visitaram o Brasil para ministrar aos membros da Igreja de Cristo. Conheça os detalhes e em quais ocasiões essas visitas ocorreram no país.

    1. 1954: David O. McKay

    2. 1975: Spencer W. Kimball

    3. 1978: Spencer W. Kimball

    4. 1996: Gordon B. Hinckley

    5. 2000: Gordon B. Hinckley

    6. 2002: Gordon B. Hinckley

    7. 2004: Gordon B. Hinckley

    8. 2008: Thomas S. Monson

    • David O. McKay

    No dia 22 de janeiro de 1954,o primeiro profeta chega ao Brasil, o presidente David O. McKay.

    Acompanhado de sua esposa, a irmã Emma R. McKay e de seu filho e secretário, o irmão Roberto McKay, permaneceu por dois dias no Rio de Janeiro onde visitou o ramo local e teve a oportunidade de se reunir com os membros.

    No dia 24 de janeiro, o presidente e sua família chegaram ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Durante o domingo o presidente esteve presente na escola dominical, em uma conferência à noite, e em uma reunião dedicada especialmente aos membros alemães. A irmã Mckay também falou com os membros incentivando as famílias a batalharem sempre pelo amor, união e paz constante no lar, seguida pelo irmão Robert McKay, que discursou em castelhano.

    • Spencer W. Kimball

    No dia 28 de fevereiro de 1975, o segundo profeta a visitar o Brasil foi o presidente Spencer W. Kimball.

    Nesta visita foi realizada a primeira conferência geral de área da Igreja presidida por um profeta em terras brasileiras. A reunião aconteceu no Anhembi em São Paulo e foi o momento em que o presidente Kimball anunciou a construção do primeiro templo no país, sendo então naquela época o primeiro da América do Sul.

    Três anos depois, em 1978, nos dias 28 de fevereiro e 1,2,3 de março o Presidente Kimball retorna ao Brasil para realizar uma nova conferência de área e para dedicar o templo de São Paulo, com a primeira sessão dedicatória no dia 30 de outubro, seguida de outras 9 durante 3 dias. O templo de São Paulo começou seu funcionamento em novembro do mesmo ano.

    • Gordon B. Hinckley

    O terceiro profeta a visitar o Brasil foi o presidente Gordon B. Hinckley em uma viagem por países da América Latina em novembro de 1996. Ele ficou uma semana no país passando pelos seguintes estados:  Em Porto Alegre no dia 13, em São Paulo, no estádio do Morumbi, nos dias 14 e 15, em Recife nos dias 15 e 16 para a abertura de terra do Templo e, por último no dia 17 em Manaus.

    No ano 2000 dois templos são dedicados no Brasil: O templo de Recife é dedicado pelo presidente Hinckley, em 15 de dezembro, e logo em seguida o templo de Porto Alegre em 17 de dezembro.

    No dia 17 de fevereiro de 2002 ele retorna ao Brasil para dedicar o templo de Campinas.

    Em fevereiro de 2004 acontece sua última visita ao país, tendo o presidente nesta época 93 anos. No dia 21 no Pacaembu, para a celebração cultural com a presença de 66 mil membros e amigos da Igreja e no dia 22 para a rededicação do templo de São Paulo, com uma sessão que foi transmitida para todo o país.

    • Thomas S. Monson

    O quarto profeta a visitar o Brasil foi o presidente Thomas S. Monson, em 31 de maio de 2008, para a celebração cultural do templo de Curitiba no Clube atlético Paranaense Arena. Em 1 de Junho aconteceu a dedicação. Foram 4 sessões, sendo duas transmitidas para as estacas de todo o país.

    No dia 2 de junho na região centro oeste, cerca de 7 mil pessoas se reuniram para ouvir o profeta. Nesta mesma data o vice-presidente da República, na época, o sr. José Alencar, recebeu o Presidente Monson em Brasília.

    • Templos dedicados:

    Templo de São Paulo

    O Presidente Spencer W. Kimball presidiu a cerimônia da pedra fundamental para o templo, em 9 de março de 1977. O templo foi dedicado em 30 de outubro de 1978. O templo foi rededicado em 22 de fevereiro de 2004, por Gordon B. Hinckley.

    Eventos significativos:

    • 1 de março de 1975 - Anunciado

    • 20 de março de 1976 - Abertura de terra

    • 30 de outubro de 1978 - Dedicação

    • 22 de fevereiro de 2004 – Rededicação

    Templo de Recife

    O Presidente Gordon B. Hinckley dedicou o templo de Recife Brasil em 15 de dezembro de 2000.

    Eventos significativos:

    • 13 de janeiro de 1995 - Anunciado

    • 15 de novembro de 1996 - Abertura de terra

    • 15 de dezembro de 2000 - Dedicação

    Templo de Porto Alegre

    O Presidente Gordon B. Hinckley dedicou o templo de Porto Alegre Brasil em 17 de dezembro de 2000.

    Eventos significativos:

    • 30 de setembro de 1997 - Anunciado

    • 2 de maio de 1998 - Abertura de terra

    • 17 de dezembro de 2000 – Dedicação

    Templo de Campinas

    O Presidente Gordon B. Hinckley dedicou o templo de Campinas Brasil, em 17 de maio de 2002.

    Eventos significativos:

    • 3 de abril de 1997 - Anunciado

    • 1 de maio de 1998 - Abertura de terra

    • 17 de maio de 2002 – Dedicação

    Templo de Curitiba

    O Presidente Thomas S. Monson dedicou o templo de Curitiba Brasil em 1 de junho de 2008.

    Eventos significativos:

    • 23 de agosto de 2002 - Anunciado

    • 10 de março de 2005 - Abertura de terra

    • 1 de junho de 2008 - Dedicação

    Templo de Manaus

    O Presidente Dieter F. Uchtdorf dedicou o templo de Manaus Brasil em 12 de junho de 2012.

    Eventos significativos:

    • 23 de maio de 2007- Anunciado

    • 20 de junho de 2008 - Abertura de terra

    • 10 de junho de 2012 – Dedicação

    Templo de Fortaleza

    O Élder Ulisses Soares, membro do Quórum dos Doze Apóstolos dedicou o templo de Fortaleza Brasil no domingo, 2 de junho de 2019.

    Eventos significativos:

    • 3 de outubro de 2009 - Anunciado

    • 15 de novembro de 2011 - Abertura de terra

    • 2 de junho de 2019 - Dedicação

    Depoimentos de quem já viu um profeta:

    • Rose São José, 52 anos,  SP

    Quando o Presidente Gordon B Hinckley veio ao Brasil pela primeira vez, diziam que ele daria uma benção para todos nós, então estava aguardando ansiosa.

    E ao proferir a benção fiquei meio decepcionada porque esperava algo grandioso, mas depois ao escrever meus sentimentos vi que não há nada mais grandioso do que aquela simples benção.

    “Eu os abençoo com um teto para vos cobrir, alimentos e saúde!”

    Foi mais ou menos isso, então na hora que eu estava escrevendo os meus sentimentos chorei muito agradecendo por aquela maravilhosa e grandiosa benção.

    • Meire Alencar Malvezi de Oliveira, 56 anos, SP

    Tive a oportunidade de participar do evento de rededicação do templo de São Paulo, na época do presidente Hinckley. O evento, que apresenta a cultura de diversas regiões do país, foi realizado no estádio do Pacaembu, e reuniu pessoas de várias estacas do Brasil todo. Foram meses de ensaio e preparação. Milagres foram vistos e vidas foram mudadas nesse processo. Mas o ponto culminante para mim foi o dia da apresentação.  Mesmo debaixo de chuva e cansados, vi a multidão reunida naquele estádio, todo em uníssono, cantando um hino, mas com vigor e harmonia. A paz e o sentimento de união, mesmo entre tantas pessoas desconhecidas, foram extraordinários. Estávamos todos sintonizados pelo espírito, gratos por receber um representante direto de Deus em nosso país. Foi um testemunho de que o Pai nos ama muito e se importa com cada um de nós. E que não estamos sozinhos nessa jornada, já outros se esforçando por fazer o correto, e cada um de nossos pequenos esforços valeu a pena. Sei que o profeta realmente é um homem de Deus e que é um privilégio receber esses humildes servos em nosso país. Eles trazem a paz e o amor de Deus até nós.

    • Jovania Santos Pimentel , 52 anos, SP

    Em 11 novembro de 1996 tivemos o privilégio de receber o presidente Gordon B Hinckley para a abertura de terra do templo de Recife (2° templo no Brasil). Após essa cerimônia fomos agraciados com uma reunião no ginásio de esportes onde nosso amado profeta proferiu sábias palavras para nós.

    Sentei-me bem próximo do palco onde ele estava e fui abençoada por alguns segundos cruzar meu olhar com o dele.  Eu estava grávida de 3 meses da minha caçula e nunca vi um bebê mexer tanto como ela naquele momento.  Ela sentiu a sua presença.  Foram segundos mágicos que guardo com carinho no meu coração.  Ele pôde transmitir em tão pouco tempo o amor que ele tinha por mim.  Senti algo inexplicável, mas puro e verdadeiro. Ele era um profeta de Deus e estava ali para dizer ao povo do Nordeste que o Pai Celestial os amava e estava lhes abençoando com sua Santa Casa.

    • Moroni Costa, 40 anos, SP

    Presenciei a visita do Pres. Hinckley em 1996,  em 2002 (dedicação do templo de Campinas) e 2004 (rededicação do templo de São Paulo). Também estive na visita do Pres. Monson em 2008. Lembro-me bem como o Pres. Hinckley ensinou que os maridos devem tratar bem suas esposas. E do amor demonstrado pelo Pres. Monson, que ofereceu uma oração na celebração cultural que antecedeu a dedicação. Nunca havia visto um profeta orar. Foi algo maravilhoso, que me ensinou sobre fé e humildade.

    • Juliana Elias, 35 anos, SP

    Minha experiência em ir a uma visita do profeta é a da visita do Presidente Gordon B. Hinckley no estádio do Morumbi. Era apenas uma criança, não me recordo do que ele disse, mas para mim a experiência foi sagrada. Me recordo de colocar a melhor roupa de domingo. Que mesmo estando em um ônibus cheio de amigos, havia uma reverência muito grande. E no estádio lotado não tinha bagunça, todos estavam ansiosos para ver o profeta de Deus falar. Ainda tenho guardada com carinho o lenço branco que usamos acenando para o profeta. Como disse não me recordo do que foi dito, mas o sentimento sagrado e reverência guardo até hoje. Foi meu primeiro testemunho sobre a veracidade do profeta.

    Por esse motivo estou me esforçando e já falando com meu filho de 5 anos sobre a visita do profeta. Para que ele possa ter a mesma experiência sagrada que a mãe dele teve há tantos anos atrás.

    Em minha jornada dá fé, esta experiência me ajuda e podermos sentir o doce espírito ao estudar o Vem, e Segue me e sermos guiados pelo espírito e pelos conselhos do nosso amado profeta, o presidente Nelson. Amo Jesus Cristo e sei que Ele vive.

    • Ana Maria do Nascimento Sampaio, SP

    Estive no Pacaembu com o Presidente Hinckley, foi maravilhoso! Excelente, espiritual, sem palavras. Acredito que todos os que estavam lá sentiram o mesmo.

    Choveu muito naquele dia, alguns irmãos até compraram capa de chuva, mas no final, nem ligamos pra chuva. Foi um dia memorável mesmo. Chegamos em casa às 2hs da manhã depois daquele banquete espiritual. Mas quem se importava. Nem dormir queríamos. Tão grandes e profundas foram as marcas no espírito que tive.

    • Elder Del Guerso, 59 anos, Rio de Janeiro

    A primeira vez que tive contato com um Profeta foi em uma conferência em SP com o Presidente Spencer W. Kimball, quando apertei a mão dele. Na verdade não entendia muito bem o que estava acontecendo, mas senti o Espírito tão forte como nunca tinha sentido antes.

    • Marcos Delmas, 63 anos, Santos, SP

    Em 1978 tive uma experiência com o Profeta Spencer W. kimball. Eu tive o privilégio de ser seu segurança e o comitê tinha como líder o Presidente Osíris Cabral. Foi uma experiência sagrada para mim, pois fui desafiado a fazer uma missão de tempo integral por ele, pelo Profeta. Meu presidente de Estaca sabia o que estava fazendo ao me apoiar para estar no comitê de segurança.

    Em um momento estando ao lado dele, do Profeta, ele foi ao banheiro e eu atrás, ele olhou para o chão que estava repleto de papel, recolheu os papéis e ainda afundou os papéis no cesto. Naquele momento não pensei em nada, mas após o ato, pensei como um Profeta de Deus trata a casa de Deus. Conclusão, recebi meu chamado de Missão em 1979.

    Na época eu morava no Rio de Janeiro onde nasci e, onde conheci a Igreja aos 19 anos de idade.

    Meu adorável Presidente de estaca era o Presidente Waldemar Cury.

    • Hilma Barbosa Dias de Oliveira, 67 anos, SP

    A minha experiência foi quando o Gordon B. Hinckley esteve no estádio do Pacaembu. Eu ainda não era da Igreja, e fomos meu marido e eu.  E em meio àquela chuva que Deus mandava ninguém arredava o pé de lá. Eu senti o Espírito muito forte e foi um dos quesitos que faltava para eu tomar a decisão de ser membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Foi incrível, maravilhoso.

    • Maria Solange Menezes de Castro, 54 anos,  Manaus

    No dia 16 de novembro de 1996 recebemos a visita do nosso profeta Gordon B. Hinckley em minha cidade em Manaus, Amazonas. Esse foi um dia para mim de extrema gratidão e regozijo. Dei graças ao meu Pai Celeste e pude sentir Seu amor genuíno por cada um de nós. Meu testemunho foi fortalecido de uma forma sagrada e sei que o Evangelho de Jesus Cristo foi restaurado através de Joseph Smith. Deus é um pai amoroso, Jesus Cristo vive, sei que esta vida é uma preparação para uma vida real e eterna.

    • Liziany pellatiero Rosendo, 35 anos, SP

    Quando eu tinha 18 anos teve aquela rededicação do templo de Nauvoo, nos Estado Unidos e aí todos os membros poderiam receber uma recomendação para poder assistir à rededicação do templo e antes disso eu queria orar para saber se o profeta Gordon B. Hinckley realmente era um profeta de Deus. Claro que eu já sabia que a Igreja é verdadeira e o Livro de Mórmon e todas as coisas, mas eu queria ter um testemunho de cada coisa da nossa Igreja e, eu já tinha do Livro de Mórmon, da palavra de sabedoria, da lei da castidade; de todas, cada doutrina eu queria aumentar o meu testemunho e com relação ao profeta e eu queria também. Então, antes da rededicação eu orei e perguntei ao Pai Celestial se Gordon B. Hinckley realmente era um profeta de Deus. Perguntei com toda sinceridade, de todo o coração, então eu fui para a capela assistir e ao ir à capela já senti um forte espírito durante toda a reunião, em cada hino, em cada momento dessa sessão. Mas teve um momento muito, muito especial para mim; foi um momento rápido e extraordinário: Eu olhei para o rosto do profeta Gordon B. Hinckley e vi no semblante dele o rosto de Jesus Cristo e mais do que nunca soube naquele momento que ele era um profeta de Deus. Não tenho como negar aquela experiência tão sagrada e sublime que tive naquele momento. Assim como sei que Gordon B. Hinckley foi um profeta de Deus, sei sem nenhuma dúvida que Russell M. Nelson é um profeta de Deus e um homem que é um instrumento nas mãos do Pai Celestial para nos guiar nesses últimos dias. Presto o meu testemunho e sei que naquela amanhã na qual vi em seu próprio semblante, o de Jesus Cristo no rosto do profeta é real. Sei que nosso profeta hoje é um profeta de Deus em nome de Jesus Cristo amém.

    • Hannah Chahine Pianheri, 29 anos, SP

    Tive duas experiências com a visita de um profeta. A primeira vez foi quando eu tinha 5 anos e recebemos o Presidente Hinckley, aqui em São Paulo, no Estádio Morumbi. Eu não me lembro de nenhuma de suas palavras naquele dia, mas me lembro muito bem de toda a expectativa da minha família em receber o profeta e escutar suas palavras. Me lembro também de toda a tensão e trabalho da minha tia ao reger o coral e as experiências e sacrifícios que ela fez durante todo os ensaios e preparação. Me recordo também de achar o brado de Hosana magnífico! Aquilo chamou muito minha atenção e senti algo muito doce no coração, no qual creio que nunca vou esquecer.

    A segunda vez foi quando o profeta Hinckley novamente veio ao Brasil para a rededicação do templo de São Paulo. Fiquei na arquibancada com minha irmã mais velha e ficamos o dia todo no sol forte, para depois ter uma chuva abençoada, e não me lembro de sentir mais frio na vida do que durante aquela chuva. Mas principalmente, me lembro dele invocar os poderes do Céu e abençoar a todos que estavam lá no estádio do Pacaembu, todos os membros da Igreja no Brasil e toda a nossa nação, inclusive o nosso solo. Eu olhava para ele e, mesmo de tão longe, eu sentia como se ele estivesse muito perto falando tudo para mim, só para mim. Foi emocionante, eu e minha irmã trocamos olhares com os olhos marejados e o coração cheio do Espírito e gratidão ao nosso Deus.

    • Daiana Santos Pereira Costa, 33 anos, SP

    Bom, como membro recém conversa não me recordo das palavras do presidente Gordon B. Hinckley, mas tenho a viva lembrança do sentimento, do silêncio durante a oração, algo que parecia impossível em um ambiente tão grande, aberto e lotado. Foi incrível! Me lembro do coro de missionários (as), pareciam anjos e depois todo aquele estádio lotado cantando hinos de louvor. Lembro das pessoas chorando ao verem o Presidente. Sei que foi uma experiência que com certeza fortaleceu a minha fé. Participar dos ensaios para a apresentação me fez estar em lugares santos, sendo o lugar onde, eu uma jovem de 18 anos, recém conversa, precisava estar. Sou grata por ter tido o privilégio de participar desse evento, por estar tão próxima de um profeta de Deus mesmo naquela época. Mesmo não compreendendo muito bem o quanto essa era uma oportunidade incrível. Sei que Deus e Jesus Cristo vivem, que temos um profeta vidente e revelador. Amo esse evangelho que me transforma a cada dia em uma pessoa um pouco melhor. Graças damos ó Deus por um profeta.

    • Janaina Braga, 38 anos, Londres

    Em 12 de Maio 2018 tivemos o privilégio de ver o Profeta Nelson na estaca de Hyde Park Londres. Foi uma experiência maravilhosa, um espírito tão doce e cheio de amor, esperança e paz. Sabe aquela sensação que temos dentro do templo de que não importa o que está acontecendo ou o que vai acontecer tudo vai ficar bem? Quando ele nos abençoou, o espírito estava tão forte que quase dava para tocar. Depois ele passou e cumprimentou tantas pessoas quanto ele pode. Foi um momento único; espero sinceramente ter a oportunidade de sentir todo aquele amor e esperança novamente. Minhas crianças ficaram tão felizes, pegaram na mão do profeta e ficavam olhando para ele com uma carinha de quem não estava entendendo nada, mas depois perguntei o que eles estavam pensando e, a minha filha disse: ele é o nosso profeta mesmo? Ela não estava acreditando que estava assim tão pertinho dele, ficou toda feliz. Acho tão importante esta proximidade dos líderes da Igreja, faz com que meu testemunho cresça e se fortaleça mais.

    Eu acredito realmente que somos filhos do nosso Pai Celestial e como todo filho gostamos de receber carinho atenção e demonstração de carinho de nosso Pai Celestial e, este amor nos é transmitido pelos apóstolos, Profetas, e líderes gerais, um bálsamo para nossa alma e acalento para nosso coração.

    • Michele Araújo, 39 anos, SP

    Tinha 16 anos quando anunciaram a visita do Presidente Gordon B. Hinckley à São Paulo. Tive uma experiência espiritual marcante, antes mesmo de sua chegada. Numa reunião sacramental o irmão que dirigia a reunião relembrou os irmãos da visita que receberíamos e, naquele momento o Espírito tocou tão forte o meu coração que foi quando recebi a confirmação de que o Presidente Hinckley era um profeta de Deus. Meu testemunho veio de uma forma muito simples e inesperada, mas nunca me esqueci do sentimento. Ter participado da reunião no Estádio do Morumbi e ainda cantado no Coral só fortaleceram meu testemunho. Para uma adolescente como eu, ter essa experiência foi algo profundo, marcante e sagrado. Mais tarde, em 2004 pude participar da rededicação do templo de SP, inclusive dançando na celebração. Foi outra experiência sagrada com o profeta, que fortaleceu ainda mais a minha fé e testemunho de que um profeta é um homem escolhido por Deus e que escutar um profeta é escutar a voz do próprio Senhor.

    • Cibele Kzeczik. 33 Anos, Curitiba

    Em uma visita do Élder Nelson aqui em Curitiba, ainda como apóstolo, tive o privilégio de receber uma enorme benção de saúde. Ele não precisou tocar nas pessoas que estavam lotando a Capela, ele não precisou dizer exatamente a razão das suas palavras, mas quem as recebeu, compreendeu que foi abençoado. Eu estava com minha filha de 6 meses, uma bebê agitada sempre, havia inúmeras crianças no local, muitos jovens também, mas foi extremamente marcante o silêncio celestial que se fez quando o Profeta Nelson estendeu suas mãos para a congregação e, nos deixou uma benção. Não se ouvia um único barulho, o espirito me testificou que estávamos recebendo saúde.

    Alguns meses depois, eu fui diagnosticada com um grave problema no coração, tive que colocar um aparelho de marca passo para não ter mais problemas. Na época, foi como se nada estivesse acontecendo de ruim, a certeza da benção de saúde que recebi ainda pairava em minha mente. Nunca pensei em fazer algo tão complexo com tamanha confiança que tudo ficaria bem, e ficou. Sou grata por estar lá e ter recebido essa bênção de saúde e conforto, sem imaginar o que viria, mas Deus o sabia.

    • Rodolpho Perez, SP

    Em 1996, quando eu tinha 16 anos e um pouco mais de um ano de batizado, participei, no Estádio do Morumbi, em São Paulo, do coral da reunião com o Profeta Gordon B Hinckley, que veio por ocasião da dedicação do Templo de Recife.

    Havíamos ensaiado nos últimos meses e, cantaríamos “Graças Damos, Ó Deus Por um Profeta”, quando ele entrasse no estádio.

    No momento em que nos levantamos e começamos a cantar, o Espírito estava muito forte, mas quando o profeta entrou no estádio, fui tomado de um calor que começou pela sola de meu pé e, foi até o último fio de cabelo, resultando em um terno abraço em meu coração. Não pude conter as lágrimas e, no mesmo momento não pude negar que ele era o profeta verdadeiro de Deus e, que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias era a verdadeira Igreja de Cristo. De repente, percebi que o meu choro não me permitia cantar tão bem como o ensaiado. Ao tentar me conter e retomar, notei que meus irmãos do coral estavam tocados pelo mesmo sentimento e emocionados e, como eu, todos tinham dificuldade em cantar. Ao olhar nossos irmãos ao entorno do estádio víamos a mesma reação ao Espírito do Senhor nos testificando o seu poder através de seu servo.

    Nunca esquecerei daquele dia, das palavras do Profeta e principalmente do Espírito Santo me testificando do sagrado chamado dele. Presto meu testemunho que Jesus Cristo guia sua Igreja através de seu Profeta, que possui as chaves para realizar tal trabalho nesses últimos dias.”

    • Maria da Gloria Santiago - Tatuí - SP

    Tive o privilégio de participar do coral de 1.000 vozes, em 1975, para celebrar a vinda do profeta Spencer W. Kimball. Eu e minha família (eu, meu esposo e 5 filhos), tínhamos somente 2 anos de igreja, na época.

    No coro, fiquei posicionada atrás do profeta. A experiência foi maravilhosa. Estar perto de um servo de Deus, que é a voz do Senhor para nós é indescritível. Ele falava muito sobre perdão e, logo comecei a ler o livro dele O Milagre do Perdão. No coral, me lembro de dois hinos – Assombro me causa e A Alva Rompe. A letra desses hinos ficara muito marcantes na minha vida.

    Por questões pessoais, acabei me afastando da igreja por um bom tempo.  Apesar de ficar longe por esse período, essas verdades estavam cravadas no meu coração. E, hoje, estou forte com minha família nesse evangelho, para toda a Eternidade. Graças damos a Deus por um profeta!

    • João Antonio Bonatti

    Quando o Presidente David O. MCKay designou o ainda Apóstolo Gordon B. Hinckley para organizar a Estaca São Paulo Leste, em 22 de novembro de 1968, foi uma data marcante para mim, pois foi o próprio apóstolo quem me designou como missionário de tempo integral para a Missão Brasileira do Norte, quando só existiam 3 missões no Brasil (Missão Brasileira - São Paulo e Paraná;  Missão Brasileira do Sul - Santa Catarina e Rio Grande do Sul; e a recém criada Missão Brasileira do Norte - que abrangia  todos os outros Estados do Brasil).

    Cheguei na manhã do dia 23 de Novembro de 1968, na Casa da Missão na Rua Stephan Zweig, no Rio de Janeiro. O Presidente Hal R. Johnson( que anos após  voltou como Presidente do Templo de São Paulo) me recebeu, sem saber que eu seria um Missionário de Tempo Integral  para aquela Missão!! Eu cheguei antes da carta (os Correios eram muito lentos). Anos depois me encontrei com o Presidente Hinckley e lembramos daquela data tão especial para mim! Terminei minha Missão em 23 de Novembro de 1970. Em 1971 casei-me com Tádia Maria Marques. Quando o Templo de São Paulo foi dedicado fizemos o nosso Selamento. Eles realmente são Profetas de Deus!!

    • Tádia Maria Marques – SP

    Quando presidente Spencer W. Kimball veio ao Brasil tivemos várias experiências maravilhosas com seus ensinamentos. Porém, uma das que mais me tocou foi a que ele visitou o condomínio que morávamos, bem perto do Templo de São Paulo. Muitos membros da igreja moravam lá e, muitos missionários do templo também. As mães estavam no playground com seus bebês e suas crianças. Foi uma benção. Todas nós choramos e nos abraçamos naquela tarde maravilhosa em que o Presidente Kimball visitou “nossa casa' e abençoou nossas crianças.!!!!

    • Wagner Bernardes Domingues – SP

    Das nove visitas dos profetas Santos dos Últimos Dias, me dei conta de que só não participei de uma, a do Presidente David O. MCkay, em 1954. Assisti às reuniões, cantei em corais, trabalhei na recepção. Em todas a presença do Espírito foi muito forte. Todas as respostas que eu precisava foram dadas.  Nem sempre as que eu queria.

    Os profetas ensinaram de novo e de novo o básico sobre arrependimento, obediência aos mandamentos e motivaram muito. Orientaram, abraçaram e tiveram muita paciência e falaram com muito amor. Foi possível sentir os céus se abrindo e recebermos mais luz e conhecimento para as nossas vidas.   Uma das  experiências mais marcantes foi quando o sacerdócio foi liberado para os irmãos afrodescendentes.

    Presidente Nelson durante devocional em São Paulo