Passos para a Autossuficiência

Em meio à nossa preparação para deixarmos nosso lar e nos mudarmos para o Brasil, a irmã Bassett e eu decidimos passear com nossos dois netinhos, Emma, de 3 anos, e Bennett, de 1 ano.

Particularmente, adorei observar a independência que Bennett conquistou há pouco tempo. Há apenas algumas semanas, ele estava limitado com relação a onde podia ir e à velocidade com que conseguia chegar aos lugares. Inicialmente, à medida que tentava ficar de pé e mover-se, caía várias vezes. Não foi fácil vê-lo cair. Contudo, sabíamos que o benefício de se andar com as próprias pernas superaria o sacrifício de alguns desafios emocionais e alguns machucados. Finalmente, Bennet teve sucesso, e testemunhamos sua liberdade recém-descoberta durante nossos dois dias de passeio quando ele não somente aprendeu a andar, mas a correr. Foi um sentimento de realização para todos nós, mas especialmente para Bennett.

Nosso Pai Celestial é um Pai amoroso cujas maiores realizações se concretizam no desenvolvimento de Seus filhos (ver Moisés 1:39). Imagino que deve ser difícil para Ele nos ver tendo dificuldades e até caindo à medida que aprendemos as habilidades de “andar” — física e espiritualmente. Também acredito que nosso Pai Se alegra quando caminhamos com nossas próprias pernas e vivenciamos a alegria da descoberta e da autoconfiança.

Um dos grandes sentimentos de liberdade nesta vida e na eternidade é desenvolver a autossuficiência.

Essa bênção geralmente vem depois de alguns tropeços e quedas que, às vezes, nos deixam temporariamente machucados e feridos. Nosso Pai sente nossas dores e aflições ao testemunhar nossos desafios, mas Ele nos ensinou “que todas essas coisas [nos] servirão de experiência, e serão para o [nosso] bem” (Doutrina e Convênios 122:7).

Ao nos esforçarmos para obter a autossuficiência material e espiritual, descobriremos novas perspectivas e liberdade que jamais teríamos alcançado se tivéssemos permanecido no chão, engatinhando, por assim dizer, sempre dependendo de outras pessoas para nos erguer e nos levar aonde precisamos ir. Nossos esforços para alcançar o aperfeiçoamento genuíno nos levarão ao crescimento e à oportunidade. O Élder David A. Bednar ensinou: “A bênção que recebemos pelas janelas do céu pode nos dar maior capacidade de agir e de mudar nossas próprias circunstâncias em vez de esperar que elas sejam mudadas por outra pessoa ou por outra coisa” (David A. Bednar, “As Janelas do Céu”, A Liahona, novembro de 2013, p. 18).

À medida que nos esforçamos em meio a solavancos e a machucados, que costumam fazer parte do caminho para a autossuficiência, seremos, por fim, capazes de ficar em pé por nós mesmos. Por meio desse processo, desenvolveremos também a força e o privilégio de abençoar a vida de outras pessoas que cruzarem nosso caminho. Creio que o Salvador deseja para cada um de nós o que expressou a Pedro quando disse: “Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça: e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos” (Lucas 22:32).

Sou muito grato por um Pai Celestial que permite a Seus filhos caírem apenas o suficiente para aprenderem melhor o benefício de andar seguindo Seus passos em vez de engatinhar. Seus amorosos braços estarão sempre estendidos para nos receber enquanto dermos um passo após outro em direção a Ele e a nosso lar celestial.


O Élder W. Mark Bassett é o Segundo Conselheiro na Presidência da Área Brasil.